segunda-feira,
24 de junho de 2024

Lavrador é preso acusado de estuprar a sobrinha com deficiência mental em Marechal Floriano

Ele foi denunciado pela esposa. Mulher disse que desconfiava do comportamento do marido

Um lavrador foi preso em Marechal Floriano, na Região Serrana do Estado, acusado de estuprar a própria sobrinha. Ele foi denunciado pela esposa. A vítima, hoje com 18 anos, tem deficiência mental. Ela morava desde os nove anos com o casal.

A tia da jovem disse que já desconfiava do comportamento do marido, pois em outras ocasiões, quando ouvia barulhos vindos do quarto da vítima, o acusado estava sempre próximo.

“Ouvi um barulho no quarto de minha sobrinha e quando abria a porta percebi que alguém pulou a janela. Fui verificar e vi que se tratava de meu marido. Apesar de haver negado ter feito qualquer mal ou ter invadido o quarto, denuncie-o, pois tinha convicção de que poderia estar molestando minha sobrinha devido ao comportamento estranho nos últimos tempos e pelo fato de haver encontrado calcinhas dela embaixo de minha cama, disse a tia da vítima”.

O lavrador, por sua vez, negou o crime e disse que vítima o seduzia. “Não cheguei a fazer sexo, não houve penetração e nem sexo oral, mas houve ejaculação. Há nove anos essa menina mora com a gente. Até pedi a minha mulher várias vezes para devolver a menina para os pais, pois ela andava de calcinha dentro de casa e ficava me seduzindo”, defende o tio.

O acusado foi preso por investigadores após o delegado de Marechal Floriano Walter Emilino Barcelos, ter representando na Justiça pela prisão do acusado.

O acusado foi encaminhado para o Complexo de Viana, e está à disposição da Justiça.

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *