segunda-feira,
24 de junho de 2024

Sargento morre e esposa fica gravemente ferida em acidente na BR 262, em Marechal Floriano

Rael Sérgio/Gazeta.

O casal voltava de um sítio onde mora o filho do sargento, e seguia para Vitória, quando aconteceu o acidente.

O sargento reformado do Corpo de Bombeiros Altamiro Alves Valim, de 64 anos, morreu em um grave acidente ocorrido na manhã deste domingo (09), na BR 262, no Trevo de Paraju, em Marechal Floriano. A mulher do sargento, Edna Klein Valim, de 61 anos, foi socorrida em estado gravíssimo.

O acidente ocorreu no km 56, por volta das 8h30. Segundo testemunhas, ao cruzar a pista, o Gol branco MSA 5175 conduzido pelo sargento foi atingido pela carreta MQM 6821, que transportava um carregamento de suco. O motorista, de 28 anos, não se feriu.

“Eu estava no sentido Vitória – Belo Horizonte. Logo após a descida que tem na pista, já é vem o trevo. Ele saiu dali, para cruzar a pista e pegar o sentido Vitória. Mas passou na minha frente. Não tinha como fazer nada”, contou o motorista da carreta, que segundo a PRF, seguiria para Goiânia.

O sargento Altamiro ia para Vitória, depois de sair de um sítio onde mora o filho dele. “Hoje de manhã, ele estava lá, conversou com a gente e, agora, acontece uma coisa dessas. ‘Seu’ Altamiro era muito querido e todos que vão receber essa notícia vão ficar tristes”, disse a nora do sargento, Rovena Borgati.

A mulher do sargento, Edna, foi socorrida por uma ambulância do Samu e levada em estado gravíssimo para o Hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra. Devido aos ferimentos, o helicóptero da Polícia Militar chegou a ser acionado para transportá-la. No entanto, segundo policiais, a ambulância do Samu teria mais recursos disponíveis para prestar o socorro imediato.

O trânsito na BR 262 ficou mais lento, porém não houve congestionamento. O fluxo dos veículos foi desviado para pistas laterais do trevo e seguiu normalmente.

Furto

No local do acidente, Assendino Lazari Santos, o Baiano, de 57 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar depois de furtar o telefone celular do sargento, que estava no colo de Edna, no momento do acidente.

“Viram quando ele pegou o celular e chegou até a retirar o chip. Uma pessoa gritou, e policiais militares o prenderam na hora. Ele disse que ia ajudar a socorrer a mulher, no banco do carona. Mas pegou o celular que estava com ela e botou no bolso. Todo mundo já fica esperto com ele aqui, porque esse cara vive pegando coisas dos outros”, contou um morador.

Segundo militares do Corpo de Bombeiros, uma bolsa da corporação também foi furtada no local do acidente.

 
Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *