sexta-feira,
19 de julho de 2024

Escolas de Vargem Alta e D. Martins recebem materiais esportivos feitos por detentos

Ao todo, foram distribuídos kits contendo bolas e redes de futsal, voleibol e handebol, totalizando 200 bolas e 28 redes

Sete escolas estaduais e municipais do interior do Espírito Santo receberam bolas e redes produzidas por internos do sistema prisional capixaba. A doação do material esportivo ocorreu na terça-feira (04). Ao todo, foram distribuídos kits contendo bolas e redes de futsal, voleibol e handebol, totalizando 200 bolas e 28 redes. A ação foi coordenada pela equipe de Projetos Especiais da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus).

Foram contempladas as escolas EEFM Afonso Cláudio e EEEFM Maria de Abreu Alvim, em Afonso Cláudio; EEEFM Pedreiras e CMEI Jutta Batista da Silva, em Pedra Azul, Domingos Martins; EEEFM Joaquim Caetano de Paiva e EEEFM Luiz Jouffroy, em Laranja da Terra; além da EMEB João Domingos Fassarela, em Vargem Alta.

As doações das bolas e redes produzidas pelos internos começaram em junho deste ano. Nesse período, foram contempladas 15 escolas e uma instituição social, localizadas em Vila Velha, Vitória, Viana e Cariacica.

A intenção da Sejus é doar o material esportivo às escolas e instituições filantrópicas e sociais, a fim de proporcionar lazer e estimular crianças e adolescentes a desenvolverem a prática de esportes.

“Só temos a agradecer pelas doações. Creio que as bolas contribuirão com o desenvolvimento das atividades esportivas na escola e ajudarão no processo de ressocialização dos detentos”, afirmou a diretora da EEEFM Pedreiras, Elizabeth Drumond Ambrósio Filgueiras.

De acordo com a gerente de Educação e Trabalho da Sejus, Regiane Kieper do Nascimento, a etapa de entrega das bolas é uma fase importante para a ressocialização dos internos que confeccionam os materiais esportivos. “Com as doações, podemos demonstrar à sociedade que o reeducando pode produzir algo e contribuir para a melhoria educacional de muitos alunos da rede pública”, explicou.

Pintando a Liberdade

As bolas e redes foram produzidas pelos internos que participam do projeto ‘Pintando a Liberdade’. A iniciativa existe desde 2010 e busca a ressocialização e a profissionalização dos presos, com a utilização dessa mão de obra para produção de material esportivo.

Hoje, 100 internos, de várias unidades de Vila Velha e Viana, desenvolvem atividades de corte, estampa e costura de bolas, além de confecção de redes. Os internos que trabalham na produção de bolas e redes são remunerados e possuem o benefício de remição de pena, ou seja, a cada três dias trabalhados, um dia da pena a ser cumprida é reduzido.

 
Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *