quinta-feira,
30 de maio de 2024

Ataques de cobras assustam moradores de Vargem Alta

Portal Notícia Capixaba.

Em menos de um mês, sete pessoas foram picada de cobra, no município de Vargem Alta, região serrana do Estado. O caso envolvendo picada de cobra foi registrado no Hospital Padre Olívio (HPO), na comunidade de Boa Esperança, distrito de Jaciguá.

Moradores relatam que neste período de verão, as serpentes passaram a ser vistas com mais frequência em pastos e lavouras da região, e vem assustando os agricultores da zona rural do município.

O medo de ser picado por cobras tem deixado agricultores intranquilos. “Nosso maior medo é acordar um dia com um bicho desses dentro de casa ou até mesmo nossos filhos que brincam no terreiro de café acabar sendo atacados”, contaram os agricultores.

O veneno de uma jararaca, cascavel ou coral, pode levar uma pessoa à morte em pouco tempo. Por isso, é importante buscar o socorro o mais rápido possível. E foi o que aconteceu com o agricultor Eduardo Martins.

Ele conta que levou uma picada de uma cobra jararaca no dedo, e foi socorrido nas três primeiras horas depois do ataque para o hospital, onde foi medicado e aplicado o soro antiofídico.

A bióloga Tatiana Gorone explicou que, nesta época do ano é comum o aparecimento deste réptil. Segundo ela, o calor e as altas temperaturas criam condições propícias para o aumento de animais peçonhentos como cobras na área rural, principalmente nas lavouras de café, onde os filhotes têm facilidade em subir nos pés de café e permanecer ali, aumentando os casos de ataques nas mãos e braços quando os agricultores vão colher o café sem luvas de couro.

 

 

 
Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.
Array

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *