sábado,
22 de junho de 2024

Dono de armazém de café some e prejuízo é previsto em R$ 5 milhões em Vargem Alta

Um armazém que guardava a maior parte do café colhido no distrito de São José de Fruteiras, em Vargem Alta, na região serrana do Estado, fechou sem dar explicações. No local, ainda estavam todas as sacas de café da última colheita. Os cafeicultores estimam um prejuízo de mais de R$5 milhões.

O produtor rural José Schiavo contou que não tem mais acesso ao galpão. Ele está trancado desde fevereiro. José afirmou que era ali onde estava toda a riqueza da família: 542 sacas de café arábica avaliadas em mais de R$170 mil.

“Eu sempre comercializei o meu café aqui com eles, praticamente a vida toda. Dessa vez, eu tinha vendido o café, eles pediram um prazo para pagar, mas quando chegou a data eles fecharam”, contou.

O armazém é tradicional da região Sul do estado. As negociações acontecem há 40 anos no local. Os produtores guardavam as sacas esperando preços melhores no mercado ou vendiam para o dono do armazém.

Em fevereiro, sem nenhum tipo de aviso, o proprietário que negociava café desapareceu. “Há mais de 40 anos que eu comercializava meu café aqui. Vendia o café à vista como era de costume. Depois eles pediram um prazo. Era firma de confiança, pediram 15 dias de prazo, desde março, como que a gente não ia deixar?”, disse o cafeicultor Segundo Orland.

De acordo com os produtores, não há forma de se entrar em contato com o dono do armázem. Os dois telefones, um fixo e um celular, não atendem as chamadas.

Os produtores questionam sobre onde está o café. Eles acreditam que tenham caído em um golpe. “Se nós não vendermos café, nós não temos dinheiro e tem as contas para pagar”, disse uma agricultora.

Em nota, a Polícia Civil informou que a delegada responsável pelo caso está ouvido as vítimas e fazendo as diligências.Os cafeicultores dizem que vão procurar um advogado para acionar a Justiça.

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *