quinta-feira,
30 de maio de 2024

Prefeito cadeirante de Vargem Alta é alvo de comentários preconceituosos no Facebook

Rael Sérgio.

O prefeito do município de Vargem Alta, João Bosco Dias, foi alvo de comentários preconceituosos na página do Facebook, em post publicado nesta última semana, sobre a decisão do Governo do Estado de fechar o Posto de Atendimento Veicular de Vargem Alta – PAV- DETRAN.

Já post publicado no Facebook da Prefeitura Municipal, o prefeito encaminhou um ofício para o governador Paulo Hartung, da permanência do Posto. Bosquinho como é mais conhecido foi vitima de paralisia infantil aos 11 messes de idade, e é um exemplo de superação.

Durante a semana, as mensagens negativas foram removidas do perfil do administrador na rede social, porém, o prefeito fez o print das postagens. “Fiz um print de todos os comentários dessa postagem e irei levá-lo às autoridades cabíveis”, contou Bosquinho.

“A decisão não diz respeito às críticas politicas, mas ao excesso acompanhado do preconceito”, explicou o prefeito.

De acordo com o prefeito, os comentários feitos por um internauta, no qual o autor criticava a decisão de fechamento do Posto de Atendimento Veicular, ultrapassaram os direitos de liberdade de expressão e partiram para o preconceito contra a pessoa com deficiência.

Segundo Bosquinho, entre palavras de baixo calão, acusações e ofensas, em um trecho do comentário o internauta foi além e utilizou as seguintes palavras: “pelo menos não foi de mim que Deus tirou as pernas, foi da cobra…” e completa em seguida: “Esse cara nunca vai ter perna para vim atrás”, diz na postagem.

“Nós vivemos em uma democracia, respeito todas as opiniões e o direito de protestar, entretanto, eu repudio qualquer tipo de discriminação, em qualquer lugar. Agradeço a Deus todos os dias pela minha vida e pela minha condição. A deficiência física nunca me atrapalhou a viver em cordialidade e respeito, entretanto há pessoas com deficiência de caráter e isso sim é abominável”, disse Bosquinho.

O projeto de Lei sancionado pela Presidente Dilma, no início deste mês, sobre o Estatuto da Pessoa Com Deficiência, prevê pena de um a três anos e multa para quem praticar induzir ou incitar discriminação de pessoa em razão de sua deficiência, incluindo se o crime for por meios de comunicação social ou de publicação de qualquer natureza.

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.
Array

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *