quinta-feira,
30 de maio de 2024

Rapaz comercializava drogas via WhatsApp é preso em Venda Nova

Um rapaz, V.G.C, de 22 anos e uma mulher, C.C. P., de 41 anos, foram detidos às 15h40 deste domingo (9) suspeitos de tráfico de drogas em Venda Nova do Imigrante. Eles mantinham, em um bar, mudas de uma planta que suspostamente seria maconha. A Polícia Militar (PM) de Venda Nova do Imigrante apreendeu também, na ação, sete pinos com uma substância semelhante a cocaína.

Além de drogas e dinheiro, a PM descobriu que o rapaz mantinha conversas pelo Whatsapp com pessoas que queriam comprar drogas. Cinco nomes foram citados no B.O.. No documento, consta que “a ‘oferta e procura’ de maconha ocorre abertamente em tais mensagens, inclusive com preço e locais da origem da droga (Castelo e Vitória)”.

A história começou em uma abordagem policial de rotina. Segundo o BO, durante o patrulamento os policiais avistaram dois rapazes, V.G.C, de 22 anos e L.F.L, de 25 anos, em um bar do Bairro São Pedro. Os jovens já têm histórico de uso de entorpecentes, segundo o BO, e o policial decidiu realizar a abordagem ao perceber que V.G.C ficou muito inquieto ao avistar a viatura. O rapaz também é alvo de denúncias de pessoas que relatam ser ele um dos traficantes de Venda Nova, diz o BO.

Na abordagem a L.F.L., nada foi encontrado. Já quando os policiais abordaram V.G.C, foram encontrados uma passagem de ônibus de Venda Nova x Castelo, um pacote com folhas de seda “smoking”, R$ 295 em notas, R$ 2 em moedas, um vidro de colírio e um celular. Ao ser indagado sobre a seda e o colírio, V.G.C. disse que era para uso pessoal, já que é viciado em maconha. Quanto à origem do aparelho celular, o rapaz disse, em um primeiro momento, que não era seu. Depois, disse que o aparelho era seu e, ao desbloquear o teclado, os policiais militares encontraram mensagens de texto via Whatsapp que evidenciaram que o rapaz movimentava o tráfico de drogas na cidade, segundo o BO.

O documento registra ainda os nomes de cinco pessoas cujas conversas evidenciam a procura por maconha. No B.O. consta que “a ‘oferta e procura’ de maconha ocorre abertamente em tais mensagens, inclusive com preço e locais da origem da droga (Castelo e Vitória)”.

Segundo as informações, em uma das conversas, V.G.C mostra a um dos contatos do Whatsapp uma foto das mudas de maconha e o tal contato orienta, por mensagem de voz, sobre o cultivo da droga. V.G.C. relata, na conversa, que o vaso contendo as sete mudas estaria em um bar e que uma das proprietárias do estabelecimento (C.C.P., de 41 anos, que também foi detida) sabia da droga e a outra, de nada desconfiava.

Com essa informação, a polícia fez buscas no bar que foi citado na conversa e encontrou o vaso com a droga. Consta no B.O., ainda, outras conversas entre V.G.C. e a dona do bar (ela já teria cumprido pena por tráfico de drogas entre 2009 e 2011). Em uma das frases ela dizia: “O cultivo aqui está bombando, 7 pés”.

A segunda muda estaria no local de trabalho de V.G.C. e a cocaína, na casa dele. O rapaz disse ainda que busca drogas em Vitória e Castelo para venda. Tanto V.G.C. quanto C.C.P. foram levados para a delegacia de Venda Nova.

Na ação, a Polícia Militar apreendeu uma passagem de ônibus de Venda Nova x Castelo; R$ 297 em dinheiro; um colírio; dois celulares, um vaso de plantas contendo sete mudas de planta aparentando ser maconha, uma muda de planta aparentando ser maconha em um pedaço de telha; sete pinos plásticos com substâncias semelhantes a cocaína e quatro pinos plásticos vazios.

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.
Array

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *