sexta-feira,
12 de julho de 2024

“A luta pra levar o curso para o Salesiano começou em 2013”, diz o prefeito de Vargem Alta

Um esforço conjunto entre a prefeitura de Vargem Alta e a Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (Emescam) pode levar para o município um curso de especialização médica em Saúde da Família e Comunitária a partir do próximo ano. A expectativa é que os médicos formados no município fiquem na região sul e reforcem o programa Estratégia Saúde da Família (ESF).

Segundo o prefeito de Vargem Alta, João Bosco Dias, o Bosquinho (PSB), a luta pra levar o curso para o município começou em 2013, quando ele conseguiu que o governo do Estado comprasse o imóvel do antigo colégio Salesiano no distrito de Jaciguá, com 10 mil m² de área construída e 6 alqueires de Mata Atlântica. A partir da aquisição, surgiu à possibilidade de Emescam instalar o curso no município, basta o governo fazer a cessão da área para a faculdade.

A Emescam vai aderir, então a um programa do governo federal para custear o curso que pode beneficiar, inicialmente, dez municípios do sul do Estado. A intenção é que sejam oferecidas duas bolsas por município, que ainda serão definidos.

De acordo com o prefeito, a instalação do curso na região serrado do Sul do Estado, pode suprir a necessidade de médicos para atuarem na atenção básica à saúde na região sul. Ele conta que, atualmente, embora as equipes do ESF estejam completas, há certa rotatividade de médicos, que não ficam por muito tempo no município.

O município tem oito equipes do programa, que cobrem todo o território de Vargem Alta, que tem 21 mil habitantes. O programa é a estratégia definida pelo Ministério de Saúde para oferecer uma atenção básica mais resolutiva e humanizada no País.

A atenção básica é um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrange a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação e a manutenção da saúde. É a porta de entrada do sistema de saúde e se articula com os outros níveis de atenção.

O Programa Saúde da Família é operacionalizado mediante equipes compostas por um médico, um enfermeiro, dois auxiliares de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde (ACS), baseados em uma unidade básica de saúde (UBS).

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *