sexta-feira,
12 de julho de 2024

Projeto de Musicalização estimula contato com a música em Alfredo Chaves

Aulas de violão, cavaquinho, viola, contrabaixo, saxofone, flauta, teclado e acordeom são apenas algumas opções dos cursos de música oferecidos pela Secretaria Municipal de Turismo e Cultura (Semtuc) de Alfredo Chaves para moradores da sede e interior. Coordenado desde 2008 pelo professor e maestro Silvio Barbieri, o Projeto de Musicalização tem estimulado o aprendizado de crianças, jovens e adultos residentes no município.

Conforme informações da Semtuc, os alunos têm a oportunidade de aprender a tocar os instrumentos musicais de preferência, com aulas de teoria musical, de canto e de voz e posteriormente compor os corais do município, como por exemplo, a Orquestra Alto Benevente e a Banda Lira. “Além disso, muitos também se apresentam nas celebrações religiosas dos locais onde moram. É uma satisfação ver que o projeto vem dando certo e é visto com respeito pela população”, comentou o secretário da pasta, Gabriel Fiorin.

Conforme o professor Silvio Barbieri ao longo dos anos, cerca de 500 alunos já passaram pelo projeto e muitos já se profissionalizaram ou tocam por conta própria. “A maioria chega sem saber nada, mas com força de vontade e dedicação, eles vão se aperfeiçoando, seguem a linha musical que mais se identificam e muitos já se profissionalizaram”, disse.

Um exemplo é o jovem Tarcísio Menegasse Cola, 19. Filho de agricultores da comunidade de Carolina ele se interessou pelo curso e em 2009 começou fazer as aulas de teclado e bateria. Hoje ele toca profissionalmente e já fez parte de vários conjuntos musicais como a Banda Hellys, Mania de Vanera, Sound Fusion e Forró Bom Demais. “Na verdade tudo começou na Orquestra Alto Benevente, minha primeira experiência. Sempre calmo, atencioso e disposto a repassar seus conhecimentos, hoje posso dizer que maestro Barbieri foi um dos melhores professores da minha vida”, confidenciou.

Segundo Barbieri, em cada localidade do interior do município que recebe as aulas, percebe-se uma predominância de estilo musical, de acordo com a cultura em evidência. Na comunidade de Quarto Território, por exemplo, entre os 15 alunos, há preferência por músicas sacras devido a religiosidade das famílias. Na comunidade de Ibitirui ganha destaque na turma de 12 alunos, os instrumentos de corda como cavaquinho, violão e viola. Já em São João de Crubixá, as aulas de canto popular chamam atenção dos 20 alunos que aproveitam a aprendizagem para cânticos na igreja local.

Enquanto na sede, entre os 30 estudantes, existe uma particularidade para as músicas evangélicas. “O mais importante é a maneira como a música é vista por todos. E algo que é feito com amor e afeição e levado para o dia a dia a maneira de cada um. Me sinto realizado em ser um colaborador para a formação musical de tantas pessoas”, concluiu.

Do projeto de música em Alfredo Chaves surgiu a Orquestra Alto Benevente que durante o ano se apresenta em festas do município, feiras e exposições e a Banda Lira para eventos menores. Formadas por jovens e adultos, moradores da sede e do interior do município, ambas são regidas por Maestro Barbieri.

Aulas de música:interessados em participar podem procurar a Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, localizada na Avenida Getúlio Vargas, das 8h às 16h, de segunda a sexta-feira.Há opções para instrumentos de cordas como violão, guitarra, cavaquinho, bandolin, viola caipira e contrabaixo. De sopro: saxofone, clarinete, flauta transversa, flauta doce e gaita de boca. Para os instrumentos de teclas há opções para teclado, acordeom e escaleta. Na percussão fazem parte bateria, pandeiro e tamborim.

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *