quinta-feira,
30 de maio de 2024

Chuva deixa rastro de destruição e comércio de Cachoeiro começa a contabilizar os prejuízos

Foto: Alissandra Mendes

 

Por Alissandra Mendes

 

Um dia após uma das maiores enchentes da história de Cachoeiro de Itapemirim, o comércio começa a contabilizar os prejuízos causados pela cheia do rio Itapemirim, que subiu mais de seis metros no último sábado (25). Até o momento, 376 pessoas estão desabrigadas e 61 desalojadas, a maioria do interior, dos distritos de Pacotuba, Conduru e Coutinho.

 

O cenário após a enchente no município é de destruição. Mesmo com o alerta da Prefeitura dado no início da manhã de sábado (25), muitos comerciantes não conseguiram tirar as mercadorias a tempo e perderam tudo. As ruas Pedro Dias e Eugênio Amorim foram as mais afetadas no bairro Guandu.

 

Na avenida Beira Rio, ainda há pontos de alagamentos na tarde deste domingo (26). A força da água arrastou uma Kombi, que estava estacionada no pátio da 1ª Igreja Batista, que parou nas grades que foram arrancadas pela correnteza. A enchente também destruiu uma loja de instrumentos musicais e uma farmácia na avenida. A ponte de pedestres teve o corrimão arrancado pela cheia. O local está interditado.

 

Pelas ruas, muita lama e móveis estragados pela água. Uma casa, que fica entre a igreja e a loja de instrumentos musicais foi coberta até o teto pela água. Mesmo com o rio baixando, a garagem permanece totalmente coberta. Um prédio vizinho, teve os portões da garagem arrancados.

 

Apenas as pontes Guadalajara, na Ilha da Luz, e de Ferro, no centro, estão liberadas para tráfego, e a Prefeitura está pedindo aos moradores que evitem ao máximo sair às ruas com veículos, para não comprometer o trânsito e os trabalhos de limpeza e recuperação da cidade.

 

Cachoeiro cria Sistema de Comando em Operações  

 

Na manhã deste domingo (26), foi implantado em Cachoeiro o Sistema de Comando em Operações (SCO) para organização das ações em resposta aos problemas provocados por uma das maiores cheias do rio Itapemirim no município, iniciada neste sábado (25).

 

A formação do grupo, que tem representantes da Prefeitura, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, foi coordenada pelo comandante-geral do Corpo de Bombeiro de Militar do Espírito Santo, coronel Alexandre dos Santos Cerqueira.

 

“A criação do SCO é fundamental para a integração e efetividade dos esforços de recuperação do município, após esse que é um dos maiores desastres naturais já sofridos por Cachoeiro. Estamos trabalhando para dar respostas rápidas à população, em especial, aos mais afetados pela enchente”, frisa o prefeito Victor Coelho, que comanda o grupo em conjunto com o coordenador da Defesa Civil municipal, Francisco Inácio Daroz, e o major Swamy, do 3º Batalhão de Bombeiros.

 

A prefeitura contabiliza, até o momento, 376 desabrigados e 61 desalojados, a maioria do interior, dos distritos de Pacotuba, Conduru e Coutinho. Os desabrigados estão sendo assistidos em abrigos montados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes).

 

Até o início da tarde deste domingo, o nível do rio Itapemirim permanecia alto, inundando ruas em diversos bairros. Estão liberadas para tráfego apenas as pontes Guadalajara, na Ilha da Luz, e de Ferro, no Centro.

 

Em função dos alagamentos e interdições, a Prefeitura pede que os moradores evitem ao máximo sair às ruas com veículos, para não comprometer o trânsito e os trabalhos de limpeza e recuperação da cidade. Desde a manhã deste domingo, equipes atuam com maquinário para remoção de sujeira das vias na área central em que já é possível executar o trabalho.

 

A concessionária de água e esgoto trabalha no restabelecimento da capacidade de tratamento de água e recomenda o uso consumo consciente. O transporte coletivo está comprometido, operando com linhas nas regiões em que é possível fazer o atendimento.

 

Abrigo

 

Na sede do município, a Prefeitura montou um abrigo na escola municipal Anísio Ramos, no bairro Vila Rica. Equipes da Semdes estão percorrendo os bairros afetados em busca ativa por desalojados e desabrigados. Quem estiver nesta situação deve se encaminhar para a escola, que fica na rua Antônio Pedro Carleto, no Vila Rica. Também há abrigos em Conduru, Coutinho e Pacotuba.

 

Doações

 

Para o suporte a desalojados e desabrigados, estão sendo aceitas doações de água, leite e materiais de limpeza e de higiene pessoal. A alimentação e colchões são fornecidos pela Prefeitura, não sendo necessária a doação desses itens.

 

Os donativos devem ser entregues no Espaço Vida (Centro POP), localizado na rua Deodoro da Fonseca, bairro Independência. O ponto de coleta na Ilha da Luz será restabelecido nos próximos dias. 

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.
Array

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *