quinta-feira,
30 de maio de 2024

Mulheres na história de Marechal Floriano – ES

Giovana Schneider: Escritora, poeta, contista e colunista. Ocupante da cadeira de nº 06 da AFHAL (Academia Florianense de História, Artes e Letras “Flores Passinato Kuster”). 

 

Giovana Schneider

 

Como estamos em março, não podemos esquecer do Dia Internacional Da Mulher. 

 

"O Dia Internacional da Mulher existe, enquanto data comemorativa, como resultado da luta das mulheres por meio de manifestações, greves, comitês etc. Essa mobilização política, ao longo do século XX, deu importância para o 8 de março como um momento de reflexão e de luta. A construção dessa data está relacionada a uma sucessão de acontecimentos."

 

Parabéns a todas as Guerreiras. Em especial as Guerreiras de Marechal…

 

Aqui vou citar somente algumas. Nem todas nasceram em Marechal, mas que aqui estiveram, e não passaram despercebidas, deixando suas marcas. Que todas vocês se sintam homenageadas…

 

JOHANNE THERESE 

 

 

Nasceu em 08 de maio de 1863, filha do imigrante suíço Johann Kuster e Anna Bárbara Weber. É uma das primeiras a nascer na Vila do Braço do Sul, hoje Marechal Floriano. 

 

ANNA MARIA DEGEN ENDLICH

 

 

Benfeitora da Igreja de Sant’Anna. Nasceu em Santa Isabel, em 14 de março de 1849, filha de imigrantes da primeira leva que chegaram na região. Casou-se com Phillip Endlich em 09 de janeiro 1868. Mudou-se para a Vila Braço do Sul, onde seu marido construiu um grande comércio de café. Ficou viúva em 1905. Em 1916 doou o terreno para construir a Igreja Católica da Vila de Marechal Floriano.

 

FLORES PASSINATO KUSTER

 

 

A professora Flores, nasceu em 06 de junho de 1902, na localidade de Batatal, município de Alfredo Chaves, filha dos imigrantes italianos Tereza Braido e Giuseppe Passinato. Aos 08 anos de idade proferiu o célebre discurso saudando, em nome da comunidade italiana, o Presidente da República, Nilo Peçanha, que em sua excursão presidencial passou por Marechal Floriano na inauguração do trecho completo da então Estrada de Ferro Leopoldina Railway, ligando o Rio de Janeiro à Vitória. Em 1923 obteve o diploma de normalista, pela Escola Normalista de Vitória/ES, tornando-se a primeira professora licenciada para dar aulas na região que hoje é o município de Marechal Floriano, assumindo a docência da Escola de Boa Esperança. A escola onde lecionou recebe o seu nome. E atualmente temos a AFHAL, Academia de História, Artes e Letras de Marechal Floriano, Flores Passinato Kuster.

 

LEOPOLDINA NASCIMENTO

 

 

Dona Leopa, como gostava de ser chamada. Nasceu na época que Marechal Floriano era uma Vila, em 17 de agosto de 1905, onde passou a sua infância. Estava entre as mais idosas do mundo. Faleceu com 115 anos, de causas naturais. Mesmo tendo pouco estudo, sabia ler e escrever. Gostava, e declamava poesia, tocava gaita. Uma das coisas que fazia questão, era exercer o seu direito de votar, e sempre destacava a importância na escolha do candidato. Era considerada a eleitora mais idosa do estado do Espirito Santo, e talvez do Brasil, pois sempre fazia questão de ir votar, mesmo sendo facultativo pela idade. Em entrevista, a um jornal de alta circulação, nas eleições de 2018, dona Leopa voltou a defender a importância do voto, inclusive para pessoas que não precisam mais votar, como era o caso dela, por ser idosa: “O voto trouxe liberdade para a mulher”, destacou.

 

LYDIA TAQUETTE MÓDOLO

 

 

Nasceu no dia 03 de agosto de 1924, em Rio Fundo, na época município de Domingos Martins, hoje Marechal Floriano. Filha de João José Taquete e Elizabethe Catelan Taquete. Destacou-se na comunidade de Marechal Floriano por acolher e amparar crianças, adolescentes e adultos em risco social, incentivando-os a estudar e trabalhar.  Foi uma pessoa caridosa, não negava acolhimento a qualquer pessoa que lhe procurasse independente de ser dia, noite, verão ou inverno, sempre tendo um prato de comida, um cobertor e uma palavra de conforto para lhe oferecer. Apesar de ter pouco estudo era uma mulher de uma mentalidade muito aberta, de muita fibra, sempre lutando pelo que acreditava. Com sua determinação e trabalho junto com o Sr. Antônio, seu esposo, conseguiram proporcionar aos seus filhos legítimos e adotivos, educação e valores morais indispensáveis para suas vidas. Uma grande lembrança, os seus deliciosos pastéis, e a sua linda cestinha de vime. 

 

NADYR KUSTER LUBE

 

 

Filha de Arnaldo Kuster e Flores Passinato Kuster, neta de Ulrich Kuster. Nasceu em 11 de fevereiro de 1933, na localidade de Soído de Baixo. Aprendeu a ler aos 5 anos de idade, observando sua mãe dar aula, sendo também sua aluna. Antes de completar 16 anos, o secretário de educação de Domingos Martins criou a Escola Singular do Braço do Sul, e a nomeou como professora, em 1949. Era professora aposentada e também poetiza. 

 

DALVA BERMUDES 

 

 

Centro de Marechal Floriano. Janeiro de 1951, professora Dalva.

 

GENOVEVA MARCULANO GAMA DELPUPPO

 

 

D. Santa, como era carinhosamente chamada em Marechal Floriano, atuou profissionalmente em várias escolas, dentre elas: Professora em Rapadura – Domingos Martins-ES; Soído de Baixo (Cabocla); Aparecida (Basílio) – Alfredo Chaves – ES. Na Escola Municipal Elisiário Ferreira Filho ela atuou como professora e Diretora. Na Escola Estadual Emílio Oscar Hülle, atuou na direção por certo período; no CNEC de Domingos Martins, foi coordenadora; Foi Diretora na Associação Pestalozzi de Marechal Floriano e, Diretora na Creche Municipal Flomiro Endlich Canal Neto.

 

No meu blog: https://giocsch.blogspot.com/ “Cada um de nós compõe a sua história”, vocês podem encontrar mais das mulheres florianenses. E no blog da AFHAL: https://afhal-mf.blogspot.com/  algumas são patronesses.

 

Atualmente, temos mulheres que estão fazendo história em Marechal Floriano.

 

MULHER

 

Foram muitas lutas

Foram muitas lágrimas 

Foram muitos gritos

Foram muitas dores 

Mulher,

És Guerreira na fé 

Seu escudo

É a sua oração

No rosto carrega o sorriso

No coração o Amor

Somente ela e Deus

Sabem da sua Dor 

Mulher

És Guerreira na Dor

És Guerreira no Amor

És Guerreira na Fé

És sempre Guerreira

Onde estiver

MULHER

 

Giovana Schneider

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.
Array

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *