terça-feira,
16 de abril de 2024

Reginaldo Penha (PT) é o terceiro pré-candidato a prefeito de Marechal Floriano a participar da série especial de entrevistas do portal Notícia Capixaba

Eduardo Antunes

A terceira entrevista da série especial, do Portal Notícia Capixaba, com os pré-candidatos à prefeitura de Marechal Floriano é com o consultor ambiental Reginaldo Penha (PT) com mediação do jornalista Eduardo Antunes. Confira abaixo as ideias do pré-candidato:

– Notícia Capixaba: Pré-candidato pelo Partido dos Trabalhadores de Marechal Floriano, Reginaldo Penha, por favor, se apresente ao nosso leitor.

– Reginaldo Penha: Um abraço aos leitores do portal Notícia Capixaba. Sou Reginaldo Penha, nascido e criado em Marechal Floriano. Filho de Francisco Alexandre Penha e Hilda Chagas Penha. Natural dessa cidade, minha infância foi toda vivida aqui, juntamente com meus pais, sou da roça, trabalhei com eles na agricultura durante toda a minha infância. 

Trabalhei plantando chuchu, quem me conhece aqui em Marechal sabe que a minha família foi uma das maiores produtoras de chuchu da região e depois dos meus estudos, na escola aqui na cidade, fui cursar técnico em Agropecuária na Escola Agrotécnica Federal de Santa Tereza.

A profissão em que atuo é como técnico agropecuária, sou consultor ambiental. Trabalho com topografia e faço consultoria de licenciamentos ambientais no município e nas cidades vizinhas. Também sou graduado em Ciências Humanas e Sociais, pela Universidade Federal do Espírito Santo, sou casado há 28 anos com a professora Nilda Idelfonso, paraibana, que atua na rede de ensino do  município. Além de me encher de orgulho, formamos uma linda família e ela me deu nosso filho, o Francisco Alexandre Penha Neto, que está concluindo, na Universidade Federal do Espírito Santo, Ciências Humanas e Sociais e é meu auxiliar no trabalho de topografia e licenciamento ambiental.

– Ainda sobre sua apresentação, se puder falar mais um pouco para a gente, tanto sobre sua vivência na vida orgânica do município, movimentos que você já participou e de onde surge essa vontade de ser o representante da população lá no cargo do Executivo para trazer essas políticas públicas para o morador de Marechal Floriano. 

– Eu sou filho de uma família tradicionalmente católica aqui do município de Marechal Floriano, minha juventude foi dentro da igreja católica, na Pastoral da Juventude, onde eu adquiri minha consciência de classe, uma consciência política e isso me levou a ter uma formação privilegiada, que muitas pessoas não têm a oportunidade de ter. Então, essa formação que eu tenho na vida hoje, eu adquiri dos meus pais e dentro da Pastoral da Juventude. E dentro da Pastoral da Juventude nós fizemos vários trabalhos aqui em Marechal Floriano.

Um dos principais trabalhos que deixa muita saudade foi o festival que a gente tinha, o Festival da Canção e da Cultura, onde nós realizamos cerca de dez festivais no final dos anos oitenta e início da década de 1990. Era um show que apresentava e apareciam muitos talentos na cidade e na região, muito bacana. 

Logo depois, eu me engajei nos movimentos sociais, o movimento que eu participo até hoje é o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), com atuação na região de Marechal Floriano e Domingos Martins. Me filiei ao Partido dos Trabalhadores por volta de 1988 e até hoje estou filiado a esse partido. Então nesse momento isso me desperta o interesse de ser gestor do nosso município para fazer chegar até a população,  que tem suas necessidades, as políticas públicas que o Governo Federal está implantando neste momento no nosso Brasil.

– Você é o terceiro entrevistado dessa série. Os dois pré-candidatos que participaram anteriormente, se mostraram muito simpáticos à gestão do prefeito João Carlos Lorenzoni e o senhor não fez menção a sua administração. Qual sua posição com relação a administração municipal e com as esferas, estadual e nacional, quais políticas públicas seriam essas que você poderia estar passando pra gente, de início? 

– Em relação a administração do prefeito João Carlos Lorenzoni, a gente não participou da campanha dele, politicamente, e não participamos da eleição passada, mas eu considero essa, de todas administrações que ele realizou na Prefeitura sendo a melhor, que está trazendo mais visibilidade a ele. Dentro do que ele projeta como política para a cidade de Marechal Floriano está sendo a melhor administração dele.

Em relação aos programas do Governo Federal para nossa cidade, agora existe uma gama muito grande de projetos realizados pelo Governo Federal, um exemplo é o ‘Novo PAC’ (Novo Programa de Aceleração do Crescimento), um projeto que vai beneficiar diretamente o município de Marechal Floriano.

O deputado Helder Salomão, que é um apoiador da minha candidatura a prefeito de Marechal Floriano, foi um dos que buscou colocar a BR-262 no Programa de Aceleração do Crescimento, que vai ocorrer agora pelo Governo Federal, para dar continuidade às obras paradas nos governos passados. Eu acredito que este programa vai dar bastante ênfase a essas obras que não tiveram conclusão.

E como gestor do município, eu pretendo criar uma subsecretaria dentro da administração para que ela visualize e que esteja sempre atenta aos editais do Governo Federal, que agora estão saindo para trazer todas essas propostas, todos os programas que que vão trazer benefício para o município, como o programa de moradia, o Minha Casa Minha Vida, tanto na modalidade urbana, quanto rural, é um programa que a gente terá uma equipe para elaborar os projetos para captar recursos, gerenciar as obras e que vai ter que fazer prestação de contas desses recursos no Siconv (Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do Governo Federal). Então, a gente quer preparar o município para estar atento a todas as oportunidades que surgirem.

Um exemplo dessa atividade que eu posso dar é o Minha Casa Minha Vida Rural,  que abriu o edital recentemente e há três entidades aptas a pleitear essa política pública nos municípios. São elas as associações, os sindicatos e as prefeituras. Através do Movimento de Pequenos Agricultores, nós temos a Associação dos Pequenos Agricultores do Estado do Espírito Santo (Apagees) e temos representação em Domingos Martins e em Marechal Floriano e estamos trabalhando na construção de moradias rurais.

No município de Marechal Floriano é a primeira vez que a gente está trazendo essas moradias. Há duas residências que já foram construídas,  que vieram através da Apagees de Domingos Martins, o Movimento dos Pequenos Agricultores de Domingos Martins, mas agora o movimento dos agricultores, nós estamos em Marechal também e a previsão é que até o final do ano a gente construa de dez a vinte casas aqui no município. 

Em Domingos Martins foram construídas mais de 220 casas, nos governos anteriores da Dilma e do Lula. Agora, esse trabalho está chegando aqui para o município de Marechal Floriano.

Então, essa é uma das políticas que o município poderia estar fazendo diretamente com o Ministério das Cidades, mas para isso tem que ter uma equipe, de forma organizada e atenta para poder estar captando esses recursos, executando e fazendo a prestação de contas. Isso é bem trabalhoso mesmo, mas o Movimento dos Pequenos Agricultores do Espírito Santo já tem um ‘know how’ bem grande na construção de moradias. Aqui no município de Marechal Floriano essa política pública de moradia será intensificada na nossa administração.

– Sua pré-candidatura tem articulação? Como está sua base de apoio interno e, também, fora do município?

– No município nós estamos conversando com todo mundo, já  estamos em conversas com algumas lideranças empresariais, da agricultura, trabalhadores e servidores públicos municipais. A gente tem conversado com todo mundo diretamente, como lideranças e pastores de igrejas evangélicas, padres, agricultores, pessoal do sindicato dos trabalhadores rurais, professores, estudantes e comerciários. Com o pessoal ligado à cultura, que a gente tem uma penetração boa pelos trabalhos que a gente já realizou nos festivais de música. 

Já a nível partidário nós temos o apoio da bancada do meu partido, que tem três deputados estaduais. Estamos em conversa adiantada com a deputada Iriny Lopes,  para trazer recursos via emenda ao orçamento do Estado para a Afhal (Academia Florianense de História, Artes e Letras), junto a Secretaria de Cultura do município, para trabalhar com festivais culturais e de música.

O deputado João Coser também já declarou apoio a nossa pré-candidatura e também vai encaminhar emendas para nosso município. Porém, ele deve ser candidato a prefeito de Vitória no ano que vem e por este motivo, deve estar pouco aqui no município.

A deputada federal Jackeline Rocha, vai estar acompanhando a gente no município também. Junto ao seu mandato, estamos articulando, com sua equipe, uma emenda parlamentar para construção de uma área de lazer no bairro Santa Rita, que é uma carência muito grande de lazer no bairro. Esse diálogo está bem aprofundado em Brasília.

O deputado Helder Salomão está com uma emenda parlamentar que provavelmente deve ser empenhada logo em breve, pois é remanescente de sua cota de emendas a lei orçamentária ainda este ano. Recursos estes que serão destinados ao asilo Sou Feliz, que presta grande serviços a nossa comunidade e a Secretaria de Assistência  Social.

Nós temos uma conversa com um grupo de pequenos pecuaristas do município, sendo alguns com dez cabeças de gado, outros com cerca de duzentas. Há uma dificuldade no município que é a questão do abate de bovinos,  pois o IDAF (Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo) tem um controle rigoroso sobre os animais que cada proprietário cria. Eu acho que isso é importante, tem que ser assim, pois é o controle sanitário, mas há uma dificuldade dos criadores na hora de abater.

Por exemplo, recentemente eles venderam um caminhão de bois para um frigorífico a R$ 180 a arroba. Se eles abatessem aqui no município e fossem vender a carne aqui, iriam vender no mínimo de duzentos e oitenta a trezentos reais. É uma diferença muito grande para os criadores de bovino. 

E nós estamos com o deputado Helder Salomão, fazendo uma conversa com ele pra gente ter uma emenda para construir um local que abata estes animais e uma câmara frigorífica para que possa dar saída para esses animais, para eles obterem mais recursos. Temos em nosso ciclo de articulação, o subsecretário de Estado de Agricultura Familiar, Rogério Favoretti, que também é um grande amigo e estará nos dando suporte nesta e em demais demandas dos pequenos agricultores de Marechal Floriano. 

Há um diálogo muito produtivo, também, com o senador Fabiano Contarato, que está na nossa pré-campanha. Ele já destina recursos via emendas para o município e nós estamos buscando as demandas, junto aos diversos setores da cidade para definir onde vamos indicar.

E falei sobre três deputados estaduais porque em nossa base de apoio há eleitores da deputada Camila Valadão, que residem aqui do município e são uma ponte de ligação ao seu mandato. Então eu tenho a confiança de sua presença e apoio a nossa campanha, além de outros deputados que a gente vai estar procurando para ajudar a pensar Marechal.

– Você tem atuação forte na zona rural, com o homem do campo. Como será o seu trabalho se você chegar a ser prefeito?

– Em referência ao homem do campo, agricultor, a gente tem que trabalhar forte na assistência técnica. Hoje o município está abandonado. A gente tem os técnicos da Secretaria de Agricultura e só dois técnicos do INCAPER para realizar todo o trabalho junto ao homem do campo e, também no IDAF, por exemplo, a seção de Marechal Floriano hoje não tem nenhum técnico atendendo, é necessário vir os técnicos de Domingo Martins, quando sobra um tempo pra atender os agricultores do município e isso os prejudica. 

Em nosso programa de governo, queremos que tenhamos pelo menos dois técnicos no IDAF que a gente tenha técnicos na Secretaria de Agricultura trabalhando no campo constantemente sob supervisão dos dos técnicos do INCAPER, para fortalecer a nossa produtividade no campo.

Em relação ao homem do campo ainda, as questões das estradas do município, vejo que são patroladas e cascalhadas. Só que o sistema de drenagem é praticamente zero, não existe, zero! Parece que a administração tem dificuldade de fazer drenagem. Parece que é proibido.

Se você cascalha a estrada na época seca, dá aquele poeirão ‘danado’ durante os dias de sol e quando começa a chover, a chuva transporta esse cascalho e essa areia toda para os córregos do nosso município, causando um dano ambiental praticamente irreversível. Hoje você nem consegue mais pescar, porque não tem mais peixe, pois praticamente nossos córregos e rios estão assoreados. Então, um trabalho que tem que ser forte de caixa seca, de drenagem não só nas estradas vicinais, mas também nas estradas das propriedades, por que isso vai trazer benefício para a natureza e para o meio ambiente.

Como Marechal é um município vocacionado para agricultura e também para o turismo, deve ter uma formação para os jovens do campo nessas áreas. Em Soído de Baixo existe uma escola, que foi construída na gestão anterior e que essa gestão não a utilizou, ali eu pretendo, junto com os moradores de Soído de Baixo, conversarmos, sentarmos para nós trazermos naquele local, uma escola agrícola, que seja, do estado, do município, ou uma escola família agrícola, mas que atenda todos os jovens do campo que queiram trabalhar, se formar em técnico agrícola, ou queira formar em técnico em agroecologia, técnico em turismo ou em técnico em meio ambiente. Então este local lá em Soído de Baixo será um centro de formação técnica.

Sobre a saúde no campo, os postos de saúde que funcionam nos distritos precisam ter uma farmácia popular funcionando ali, perto. Alguns trabalhadores só conseguem chegar à noite. Então, a gente tem que elaborar uma forma de plantão, uma vez por semana ou duas vezes por semana, onde tenhamos médicos à noite e que o atendimento para os remédios também seja à noite na farmácia básica e que ela tem que estar neste distrito. O serviço médico deve atender a todo mundo, todos os trabalhadores rurais, igual atende os trabalhadores da área urbana.

– A porta de entrada do serviço público para o cidadão é o servidor público, onde ele vai avaliar se este serviço está sendo bem ou mal prestado pelo município. Também depende dos serviços oferecidos. Qual a sua visão e proposta com relação ao servidor público, suas condições de trabalho e sua valorização? 

– Em visita ao Portal da transparência do município, a gente constata que há cerca de mil funcionários públicos. Cerca de 30% desses servidores são efetivos e 70% são cargos comissionados, designação temporária, ou outros, que não são efetivos. 

Eu acho muito pouco o quadro do funcionalismo efetivo num município do tamanho de Marechal Floriano e, principalmente, o salário do servidor do município de Marechal Floriano, está defasadíssimo. Porque tem funcionário que ganha complementação para poder chegar a um salário mínimo.

Uma das minhas propostas, sendo o gestor municipal, é Reformular o plano de cargos e salários do município para que ao final da nossa administração, o menor salário do servidor seja um valor que ele tenha condições dignas de viver, de se alimentar, de pagar seu aluguel e poder ter momentos de lazer junto a sua família. 

Outra coisa que nós precisamos fazer, se chegar à gestão, são os concursos públicos, porque está defasado o número do pessoal no município. Por exemplo, tem cerca de cinquenta professores efetivos na rede municipal de ensino, todos os outros são contratados em regime de designação temporária. Então, a gente pretende promover concurso público na área da Educação, na Saúde e também nas pastas de Agricultura e Meio Ambiente, pois o servidor efetivo tem mais proteção que o funcionário contratado por designação temporária.

– Marechal Floriano é um município que tem muitos atrativos culturais e turísticos, porém, a gente costuma ter a visão que, por estar muito perto de Domingos Martins e Pedra Azul, a gente ‘fica na sombra’ e acaba sendo esquecido, o turista acaba passando direto e parando nos pontos da cidade vizinha. Dito isto, qual sua visão sobre os potenciais e os atrativos turísticos do município?

– Marechal Floriano é conhecida como a cidade das orquídeas, pela beleza natural que a gente tem dessas plantas aqui. Nosso município tem uma infinidade de pousadas. Elas recebem muitos turistas no final de semana e, agora, a gente está tendo, também, as cervejarias que também tem atraído muita gente pra vir tomar cerveja aqui, uma cerveja artesanal de qualidade.

Nosso município trabalha com três festas grandes durante o ano, que são a Italemanha, a Festa Italiana de Araguaia e o Festival Alemão, de Santa Maria. Esses três eventos precisam ser potencializados com o apoio da municipalidade para que a gente possa estar desenvolvendo essas festividades e, juntamente com elas, a culinária tem seu destaque. Os pratos servidos, como a comida alemã, italiana, a comida mineira e a nordestina, além da comida tradicionalmente capixaba, como a torta capixaba, a gente também faz aqui.

Acho que nós temos que criar no município polos gastronômicos que vão trabalhar as potencialidades das comidas em cada distrito do município. Nós temos esse diferencial e isso traz um público degustador que traz dinheiro de fora para o município e que pode estar hospedado em nossas pousada, trazendo, assim, um desenvolvimento neste setor da economia local

Na área cultural nós já tivemos no município, como falei anteriormente, os festivais de música. Acredito que nós temos que incentivar a música, pois temos um potencial musical muito grande em nossa cidade. Existe o pessoal do forró que é tradicional aqui, existe o pessoal da MPB, o pessoal do funk também. Nós temos um funk em Marechal que ele toca no Brasil inteiro. Tem o pessoal do rap também. Então essa é a cultura de Marechal, essa cultura tem que ser difundida, nós temos que abrir espaço para a juventude, principalmente, que está conseguindo se destacar, mostrando o potencial de cada um.

Juntamente com a educação, a gente tem que trabalhar esses três eixos. A cultura, o turismo e a educação têm que caminhar juntos. Com aulas de teoria musical, pode acrescentar e desenvolver o potencial dos alunos. A escola Emílio Oscar produz todo ano um festival de talentos, é algo magnífico que acontece na nossa cidade. Eu acho que este evento tem que ser expandido para toda cidade e ele tem que ser encerrado com uma noite de talentos aqui, no centro.

Acho que isso é fácil de trabalhar junto com a Afhal porque isso aí pode trazer bastante público para nossa cidade se desenvolver e a gente estar descobrindo talentos que estão escondidos, sem oportunidade de aparecer no nosso município e na mídia.

– Chegando ao encerramento, gostaria que você falasse com o público do município. Talvez haja alguém que não tenha saído contemplado com os temas que o senhor abordou sobre as suas ideias. Você  falou sobre educação, saúde do homem do campo, turismo e sobre o próprio homem do campo. Gostaria que você passasse uma mensagem para o leitor que não te conhece, ou que não tenha se sentido contemplado pelos temas que você abordou.

– Sou pré-candidato a prefeito de Marechal Floriano, temos bons nomes que estão concorrendo a este cargo, que são todos conhecidos em nosso município. O que eu tenho a falar para a população de Marechal Floriano, é que nós estamos abertos ao diálogo. Quero conversar com todos os setores da nossa cidade para que se juntem a nossa proposta, para juntos construirmos uma proposta para pensar Marechal.

Um norte da minha pré-campanha é pensar Marechal porque nós temos que pensar o que podemos fazer  para melhorar a nossa cidade, para ser uma cidade turística, que seja um lugar onde as pessoas gostem de vir e que sejam bem recebidas, pois nossa população é acolhedora por natureza. 

O povo florianense e a gente precisa trabalhar isso aqui, mas outra coisa que nós precisamos fazer é um festival de natal. Domingos Martins tem um evento de natal maravilhoso, nossa cidade também tem esse potencial, nós estamos pertinho de Vitória e os turistas vem por aqui, observam que nós não temos a nossa cidade enfeitada. Nós precisamos criar algo que as pessoas também curtam em nossa cidade. Criar a nossa cultura, nós precisamos ter a cultura do povo florianense. 

Estou aberto ao diálogo com toda comunidade para que apresentem propostas, ouçam as nossas e vamos discutir o que é bom pra Marechal. A ideia de pensar Marechal é pensar num lugar onde nossa população possa ser feliz, onde nossos filhos possam crescer e serem felizes. Pensar Marechal é pensarmos na taxa de iluminação pública, por exemplo. Qual seu valor? Está nos atendendo? É satisfatória? 

Pensar Marechal é pensar em geração de emprego, como vamos fazer para gerar emprego digno, salário digno. Onde os nossos filhos não precisam sair daqui para trabalhar em Vitória, mas que possam trabalhar em Marechal Floriano e receber um recurso que seja valorizado. Pensar em lazer e esporte, que toda população possa estar contemplada. Pensar uma cidade onde teremos moradias dignas para todo mundo no campo ou na cidade.

É pensar que a gente possa sair a noite na rua e deixar nossos filhos saírem à vontade, irem brincar com seus colegas e voltar para casa sadios, sem preocupação de ser assaltado ou de estar em conflito com a lei.

Espero que todos tenham compreendido minhas propostas e quem não compreendeu, pode nos parar na rua e conversar. Um abraço a todos.

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.
Array

8 respostas

  1. É preciso ter coragem e isto sei que não lhe falta.
    É preciso ter vontade e isso você sempre teve.
    É preciso ter muito amor pela sua terra, por sua gente, por suas raízes.
    Eu sou testemunha desse amor.
    Acredite no seu potencial, nos acreditamos em você.

  2. Continua firme fazendo o que vc sabe fazer pois precisamos de pessoa que ajude o povo e a nossa cidade pra crescer e ser melhor seja bem vindo ….

  3. Parabéns pela entrevista, muito sólida e convincente, você abordou diversas áreas de atuação de um prefeito. Meu nome é Luiz Carlos Santos, estou secretário de combate ao racismo do PT-ES, conte comigo, vou procurá-lo para estreitarmos mais conversas. Um grande abraço e vamos enfrente. 👏🏿👏🏿👏🏿👏🏿👏🏿

  4. Vejo que nosso futuro prefeito demonstra um compromisso genuíno com a comunidade ao enfatizar a importância do diálogo. Sua disposição em ouvir e envolver todos os setores da cidade na construção de propostas evidencia sua visão democrática e inclusiva. Ao enfatizar a necessidade de melhorias para transformar Marechal Floriano em uma cidade turística acolhedora, ele demonstra sua preocupação com o bem-estar da população e o desenvolvimento sustentável. Sua proposta de criar um festival de natal e promover a cultura local demonstra um compromisso em fortalecer a identidade da cidade e atrair turistas. Além disso, Reginaldo destaca a importância de investir em questões fundamentais para a qualidade de vida dos moradores, como iluminação pública, geração de empregos dignos, lazer, esporte e segurança, bem como investimentos na área rural, pensando no homem do campo. Sua abertura ao diálogo e sua vontade de ouvir as propostas da comunidade mostram que ele está disposto a trabalhar em conjunto para promover uma Marechal Floriano mais próspera e segura para todos.
    Obrigada pela coragem de se candidatar.
    Chegou a hora da mudança!

  5. Parabéns pela entrevista, tenho certeza que quem ainda não lhe conhecia ficou bastante satisfeito em ver que temos um pré candidato com tamanho conhecimento e preparo .
    É muito bom saber que temos essa opção de alguém com visão de crescimento e desenvolvimento sustentável do município, que tem visão de valorização do homem do campo, do funcionalismo público, dos professores etc.
    É muito importante tbm termos um administrador que tenha o apoio de setores organizados da sociedade, e sobretudo uma ligação estreita com parlamentares a nível estadual e federal .
    Ter o apoio e parceria do governo do presidente Lula , será sem dúvidas um divisor de águas pra realizar as benfeitorias que nosso município tanto necessita .
    Parabéns tbm ao portal e ao entrevistador pela formulação das perguntas!
    Conte comigo e com minha família Reginaldo Penha !

  6. O Sr. Reginaldo Penha demonstra conhecimento e apresenta ideias que poderão se converter em projetos para o desenvolvimento de Marechal Floriano.
    Sua experiência com o homem do campo na lida diária, aliada aos seus conhecimentos das necessidades e pontecialidades urbanas, mostram-nos que preparo ele já possui. A nós eleitores, caberá apostar e incentivar tal candidatura.

  7. O Sr. Reginaldo Penha demonstra conhecimento e apresenta ideias que poderão se converter em projetos para o desenvolvimento de Marechal Floriano.
    Sua experiência com o homem do campo na lida diária, aliada aos seus conhecimentos nas necessidades e potencialidades urbanas, mostram-nos que preparo ele já possui. A nós eleitores, caberá apostar e incentivar tal candidatura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *