sábado,
15 de junho de 2024

Polícia prende padrasto suspeito de abusar e engravidar menina de 12 anos que deu à luz no Sul do ES

O indivíduo é suspeito de estupro da enteada de 12 anos, que gerou uma gravidez”.

Redação

A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio Núcleo Especializado de Atendimento à Mulher (Neam) de Mimoso do Sul, realizou uma operação nessa terça-feira (20), no município de Mimoso do Sul, com o intuito de dar cumprimento a um mandado de prisão preventiva de um homem de 41 anos, investigado pela prática do crime de estupro de vulnerável qualificado.

A ação contou também com o apoio da Delegacia de Polícia (DP) de Mimoso do Sul. De acordo com as investigações, o suspeito teria estuprado a enteada dele, de 12 anos, o que gerou uma gravidez. A paternidade foi confirmada após o bebê ter sido submetido ao teste DNA.

Por meio de diligências, o investigado foi localizado e preso na residência dele, no bairro Rio Preto, onde residia com a companheira dele, mãe da vítima, que foi submetida a investigações, não constatando participação no crime.

De acordo com o delegado Daniel Correia, responsável pela investigação, o suspeito foi indiciado pela prática do crime de estupro de vulnerável. “Tal fato causou grande revolta e comoção no município, tendo o autor do crime alegado que a causa da gravidez seria o fato de a adolescente utilizar suas roupas íntimas, fato rechaçado pela investigação. O vasto conjunto probatório colhido espanca qualquer dúvida em relação a autoria delitiva, ressaltando, inclusive, que o neonato foi submetido a teste de DNA, oportunidade em que foi confirmada a paternidade”, disse

A Polícia Civil trabalhou com extrema cautela e sigilo, de forma a preservar as provas do crime e, principalmente, a intimidade da vítima deste objeto crime. O crime se enquadra em aumento de pena, em razão da condição do autor ser padrasto da vítima, com penas que variam de 12 a 22 anos.

O suspeito do crime foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Xuri, onde permanece à disposição da Justiça.

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *