quinta-feira,
18 de julho de 2024

Coluna Pinga-Fogo: Após surpresas, novo cenário se desenha na corrida eleitoral, em Marechal Floriano

“Essa Coluna campeã de acesso do portal Notícia capixaba, “Pinga-Fogo”, não se trata de matéria jornalística e sim de opiniões e, revela o que vem acontecendo nos bastidores políticos dos municípios da Região Serrana do Estado”.

Marechal Floriano

Em Marechal Floriano, falar de eleições e fazer esta coluna não está nada difícil. São muitos ingredientes acrescentados a essa receita e novas articulações, resultando em muito conteúdo para produzir. Houve movimentações que surpreenderam o mercado político da cidade, que antes contava com quatro pré-candidatos ao Executivo municipal e agora tem possíveis novos aspirantes ao cargo. Assim, essa coluna faz a festa e você fica bem informado.

Novidade

Antes cotado para vice de Lidiney Gobbi (PP), o vereador Maylson Littig já havia decidido deixar o PSB, para se candidatar a vereador, ou a vice-prefeito na chapa do ex-prefeito. Ao passo em que viu sua posição se fortalecer no ranking eleitoral, Maylson agora está se articulando, junto à advogada do sindicato dos servidores públicos da cidade, Gelcilene Loiola, para colocar seu time na rua.

A nova chapa entra na disputa pelo PDT e já está vinculando suas propostas ao feito, realizado pelo prefeito de Serra, Sérgio Vidigal, no final do século passado e início dos anos 2000, quando mudou o quadro socioeconômico daquele município, através da atração de empresas.

Gelcilene saiu fortalecida, internamente, após o embate na Câmara, onde representou o Sindsmaf, sindicato dos servidores municipais, contra a aprovação no Legislativo, do projeto de Lei, que versava sobre o reajuste de salário para os procuradores do município. Agora, a advogada segue seu novo desafio, ao lado do vereador, com o objetivo de chegar ao comando de Marechal Floriano.

Chegou chegando, será que fica?

Outra novidade, porém, mais que inusitada, são as investidas de um ex-deputado, tentando lançar seu nome à prefeitura de Marechal. Morador da Grande Vitória, ele tem propriedade e laços de amizade no município, o que a lei permite. Como não está conseguindo abertura, junto aos atores políticos locais, ficará difícil viabilizar a candidatura em terras distantes de casa.

Efeito Pinga-Fogo

Ainda trazendo novidades, os passos dados por Cabral, após divulgado nesta coluna, que o vice-prefeito estava com dificuldades de consolidar sua pré-candidatura à prefeitura, houve várias movimentações para se firmar no cenário eleitoral.

Cabral foi cotado como possível vice, na chapa de Lidiney, ou poderia disputar a Câmara em seu grupo. Porém a reviravolta pode estar se desenhando, com a entrada no circuito eleitoral do empresário Martinho Trarbach, que primeiro era pré-candidato a vereador na mesma chapa, foi sondado para ser vice, do ex-deputado, citado acima, e, agora, pode surgir uma dupla, entre Martinho e algum dos cabeças de chapa disponíveis, ou com o próprio Cabral.

Votação polêmica na Câmara: Havia recomendação do MP para reajustar salário de procuradores

Por meio da assessoria de comunicação, o prefeito, João Carlos Lorenzoni, informou que o Projeto de Lei, que atendia ao pleito dos procuradores, para o reajuste de seus vencimentos, atendeu a lei. 

O Ministério Público entrou no circuito, com recomendação ao Executivo, para que houvesse o reajuste e equiparação do salário da categoria, uma vez que a Câmara pagava salário maior ao mesmo cargo, o que forçou a prefeitura a realizar o reajuste. Se não o fizesse, Lorenzoni correria o risco de responder a processo por improbidade administrativa.

Movimentos sem grandes alardes nos bastidores das quatro campanhas já estabelecidas

O prefeito, Cacau Lorenzoni (PSB) e seu nome a sucessão, Felipe Delpuppo (MDB), trabalham os partidos de sua frente (MDB/PSB/Solidariedade/Republicanos e PRD) para formar as chapas de vereadores. Muito cuidado, nessa hora, para não vazar alguns nomes e trabalho intenso, com a documentação dos novos filiados.

Lidiney Gobbi (PP), que tenta retornar ao cargo, também costura suas ‘perninhas’, como o mesmo chama suas chapas de vereadores. Com muito balão de ensaio, o nome do vice ainda não foi definido. Sobre as legendas que tem para formar sua frente, se sabe da composição (PP/PL/Agir e mais algum, que faz muito mistério e não revela). Só no final, saberemos quantas pernas essa “tarântula”, quer dizer, coligação, terá.

Diony Stein (Podemos) iniciou sua caminhada pela cidade, o pré-candidato está realizando visitas no município e usando bastante suas redes sociais, junto a seu pré-candidato a vice, Dr. Otto Baptista. A chapa se fortaleceu com a entrada do médico bem conceituado na cidade e ainda ganhou o suporte do partido União Brasil, onde é filiado e possibilita maior número de candidatos a vereador nas eleições deste ano. Com dois partidos, sua chapa poderá ter até 22 candidatos nas ruas, pedindo voto.

Reginaldo Penha (PT) continua sua caminhada, principalmente no interior, em busca de apoios e novas adesões para a disputa de vereador. Sua pré-candidata a vice, Carla Mognol (PV), se articula na região de Santa Maria e Araguaya, onde sua chapa tem pré-candidata a vereadora. Falando em mulheres, Carla foi destaque no evento do dia das mulheres promovido por entidades simpáticas à frente partidária de esquerda, em Marechal Floriano.

Frase do dia

“Política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou”.

Magalhães Pinto

Compartilhe

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site, e nos reservamos o direito de excluir. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *